27 de fev de 2016


Preciso ler esse livro, não para aprender a pular amarelinha. Isso eu nunca vou conseguir.  Porque quando nossos olhares se cruzam é como encontrar aquele-amigo-que-mal-conhecemos-mas-q-a-gente-considera-pra-caralho (perdoe-me as feministas, mas este post tem um público-alvo.) e o livro volta para estante. Ele ainda tem o cheiro do suor das suas mãos. Desgraça de vida! Pelo menos, tomei um decisão. Bravo. Eisaí, mlk. Parabéns, meu querido. Uhuuuu, Putaria, putaria! Marcel me olha. Seu ciúme escorre como gotículas de um copo de limonada suíça. Ouvi, ingrato? Marcel se aproxima de mim e sussurra no meu ouvido. Cena de trash movie. você não está pronto. primeiro, vou te fazer leitor, e se você se comportar direitinho, se somente se,  pode ser que eu venha a te fazer escritor. Agente, Editora, Marqueteiro e leitores (já ia me esquecendo do mais importante) é por tua conta. Era o Diabo assoprando no meu ouvido. Dei para ter alucinações, ultimamente. Sai daqui, capeta! Para começar, vc nem existe. Você é a cruza do meu medo rejeição com insegurança de um auto-didata, o q se é esperado pelos críticos, o-não-estar-pronto. nunca estamos, desconfio que nunca estaremos. Reconheceria a voz do Marcel mesmo se ele tivesse usando auto-tune amplificado num coro de mil vozes.  Pego o Júlio de volta na instante e beijo sua capa devotamente, sinto o cheiro do desgraçado... o CK One fica diferente na tua pele...  É a água do Amlstel, amor. Você vai se apaixonar pela minha cidade, assim como eu me apaixonei pela sua. Vamos, ficar morando aqui, heim? Não. Bati o pé. Bate o pé é modo de dizer, o Marcio ficou nervoso com a insistência dele. O Márcio também era carne-de-pescoço, né? Muito temperamental. Não foi à toa que o apelidaram de Nina Simone do Cerrado. Ele se deitou com o Jogo da Amarelinha sob o peito e dormiu sem trocar de meias. Teve um extraordinário estasiante sonho que está tentando se lembrar agora, mas só consegue se lembrar de uma frase: Casado sou com ele, contigo somente 3 dias. Se tu for um pica das galáxias, a gente passa mais tempo juntos. #workinprogress

Cortázar faz confidências que podem assombrar os críticos
In: Folha de São Paulo, 27  de fevereiro de 2016

Hachmann faz confidências que podem assombrar os críticos.
In: Folha de São Paulo, 27 de fevereiro de 2116

Nenhum comentário:

Postar um comentário