16 de abr de 2007


True Romance?, originally uploaded by Renata Baião.

Hoje preciso colocar meu alter-ego de lado, e assumir essa tristeza, misto de revolta e dor. Corroa meus intestinos com sua força descomunal. Não seria novidade nenhuma se descobrissem um cancêr me comendo velozmente por dentro. Eu sofreria. Para alguns seria o supra-sumo, para outros a indiferença. Para mim a purificação do milagre. Aumento o volume da caixa de som. A valsa transforma-se em pastiche pop-rock. Convido Dona Morte para dançar comigo. É a última música. Sua chance de conduzir para onde quer que seja. Seu hálito acebolado não me amedronta mais. Eu me acostumei. Giramos pelo corredor até a cozinha, executamos os passos com precisão. Quando me dei conta, é a Senhora que está na porta da sala, se despedindo, mandando beijinho, balançando a mãozinha, dando uma piscadinha. Espera aí, não vá agora. Eu volto, querido. Porque adiar a dor mais ainda, quando poderia ser agora. Suas malas não estão prontas. Come mais um pedaço da torta. A mal-educada sumira. Havia preparado o jantar com tanto carinho. Essa dor é por causa de um amigo não ter me respondido um e-mail. Finge não me conhecer, fingirei tão bem que ele se sentirá magoado. Não foi com o procurador? A vida não é como gostaríamos que fosse. Vou imaginar um final feliz, após todo o sofrimento e provação. É o percurso do herói. Do sofrimento à redenção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário