30 de out de 2007

OFF TOPIC: Entrevista informal por telefone. O headhunter me explicara, jamais revele sua pretensão salarial, assim você perde seu poder de negociação. E assim foi até o final. Não disse à minha futura patroa quanto gostaria de receber pelo meu trabalho. Aceitei a proposta sem pestanejar. Enfim livre.

2 comentários:

  1. Eita, eita! Acabei de ver o teu comentário no poesia na veia. Poderia te responder lá mesmo, mas fico com recio de vc não olhar. Então vim(de velho) aqui. Vc tem razão, limpando a cisterna podemos extrair muitas coisas. Saca só:


    Os Versos que faço



    Os versos que faço

    germinam no limbo


    : nascem verdes

    como esperança


    Os versos que faço

    brotam do breu


    : surgem brancos

    ausência de sentir


    Os versos que faço

    expressam quereres


    : aquarela que

    tinge a inspiração


    Os versos que faço

    dizem tudo


    : mostram nada

    inspiração da

    que escreve

    os versos que faço.



    rsrsrsrs.
    Tá postado lá. Mas acho q vc n conhecia.
    Bj.

    ResponderExcluir
  2. Fernanda, não os conhecia. Preciso me disciplinar e explorar seu blog com mais calma. beijos.

    ResponderExcluir