30 de jun de 2012

A real politik ferve enquanto os gansos voam baixo.
Manteiga escorrendo pela chapa.
O melindre dissonante supurado.
Alarmes disparados, vizinhança aflita.
Aço distorcido, contorcido. 
destroços de plásticos,  corrente arrebentada
e um novo elo.
Graxa nas mãos e na cabeça um obsessão.
Aniversário de colisão cinza-prata


No site da delegacia, registro meu desejo:
cruzar na rua com aquele gato preto,
do azar se fez sorte,
e a demora em clarear o dia. 
Não largara a latinha de skol, 
dos males, o menor. 
Alguém poderia ter se machucado,
se é que não se machucou.
Os corações se  abraçam ao poste de energia elétrica.
Da próxima vez, aceito o convite para  fazer amor no alto da torre telefônica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário