23 de fev de 2006

Na última estante do corredor à esquerda


prayer, originally uploaded by pentimento.

-Marcinho!
-Oi! Madrinha!
-Filhinho, você quer aproveitar o carnaval para ler o livro?
-Adoraria.
- Vou mandar o Biel pegá-lo para você e depois vai buscá-lo lá em casa.
-Claro, perfeito!
-Soletra aqui para o Celinho, o nome do livro.
-Espera aí, Madrinha, eu tenho o endereço dele na instante.
-Não acredito. Ele é o cão, Celinho! Já vai ter dar o endereço o livro. Fale aqui com ele.
-Fica mais fácil com o endereço, né, Dona Fatinha.

Enquando lhe escrevo, rezo para que ele não se confunda. É o volume 2. Vol 2. Não fui enfático suficiente. Mas se ele pegar o volume 1, vai ser divertido também. A propósito, não pega bem dizer que estou lendo JJ. Ou as pessoas acham que sou um gênio, ou me acham metido; como havia comentado João Silvério Trevisan, ao participar do chat da sua oficina literária. (Se não suporto o sarcasmo, não nasci para escrever.) Nenhuma das alternativas acima. É dever-de-casa que faço com surpreendente prazer. Qualquer dia, publico minha opinião sobre Finnegans Wake (como se isso fosse importante). Ai, então, poderei voltar ao boxe.

8 comentários:

  1. Boa sorte, Marcinho!!!! Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá! Estou divulgando o meu blog e meu site: www.ilustrada.ppg.br! Abraços!

    ResponderExcluir
  3. é o autor do Ulisses?!?
    mas o que eu to perguntando?!?!

    Na real: quando eu quero um livro pra ler a última coisa que eu penso é saber se "pega bem"... =D

    ResponderExcluir
  4. oficina literária? vc já participou? eu tou tentando...

    ResponderExcluir
  5. Olá Marcinho! Faço capa e qualquer mateial que é nescessário o uso de ilustração ou tratamento de imagem! Grato pela visita em meu blog! Espero contar sempre com a sua presença! Estarei colocando o seu link em meus favoritos! Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Ana Carolina,
    Muito obrigado. Boa sorte pra todos nós. É no vol.2 que a história começa de fato. A apresentação do Donald Schüler (tradutor) nos motiva ao mesmo tempo que explica. Diversão sonora.

    Amandinha,
    Em primeiro lugar, saudade! Muita. Demais. Transbordando. Oxalá, apareça com mais freqüência. Temos uma entrevista agendada, esqueceu-se?;) Em segundo lugar, não seria o caso da leitura pegar bem ou não, mas o fato de permitir à estranhos saberem que estamos lendo fulano ou beltrano. Alguns intelectuais que acreditam ser o público alvo de uma determinada obra não gostam de ver seus livros favoritos circulando nas mãos de pessoas comuns. Ou pensam que se tratam de símios a manusear artefatos explosivos; ou de empregadas-domésticas removendo o pó da penteadeira da madame. Parece-me uma pedante forma de censura. Acredito que o conhecimento está ai para todos e que cada um faça o uso que quiser (e puder) dele. ;)

    Beto,
    Nunca participei. Já tive vontade. Passou. Dedico-me apenas a ler escritores que todo mundo cita, mas poucos leram. De todos rituais de iniciação, é o que mais me agrada.
    Visite o link abaixo (se já não o conhece).Quem sabe não lhe seja útil. Há uma relação de livros (uns excelentes, outros porcarias) sobre técnica literária. Bom trabalho e boa sorte.

    http://web.archive.org/web/20041011183826/www.blogdoromance.com/index.html


    Alessandro,
    Obrigado pelo link. Conte conosco. Quem sabe não esteja nascendo uma parceria. Abraços. Boa sorte.

    ResponderExcluir
  7. Leitora8:25 PM

    Se eu achar que não pega bem... Eu não conto pra ninguém!

    Mas eu adoro dizer quando leio um livro que me classificaria como inteligente. Não que eu leia pra ser classificada assim. Mas quem lê "livro de gente inteligente" fica mais interessante sim!

    ResponderExcluir
  8. Anônimo11:31 PM

    Você pega livros na "instante"???

    ResponderExcluir