16 de abr de 2004

Óh, meu Deus! Que lindo! É por isso que eu tenho a maior consideração pelos militares, pricipalmente pela Polícia Militar. Viva a Corporação Fluminense! O pitbull do traficante Lulu foi adotado pelo soldado do Bope. Quem se chamava Digimon agora atende por 21, número da matrícula do polícia.

Moro num país onde a vida de um cão tem mais valor do que de um ser humano. Mas, Marcinho, o meliante-marginal-sanguinário era um homicida, daqueles que obrigam o filho a comer o fígado do pai delator. Ok! Não argumento mais. Vamos fazer com eles, como eles fazem conosco. É a versão brasileira da Lei de Talião. Para cada morte no asfalto, uma na comunidade.

Aqui não é o Haiti, mas me lembra o Afeganistão. Deve haver alguma célula do Talibã infiltrada lá no Rio e ela deve estar bem sentada em alguma cadeira oficial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário